Teatro Completo

  • Marca: Editora 34
  • Modelo: 9788573264326
  • Disponibilidade: Em Estoque
  • R$ 69,00

Calcular Frete

  • Teatro Completo

SinopseMestre da paródia, do humor crítico e do nonsense, Nikolai Gógol (1809-1852) ocupa uma posição singular no panorama da literatura mundial. Por um lado, é reconhecidamente o precursor de toda uma linhagem da ficção russa do século XIX que inclui autores tão fundamentais, e diferentes entre si, quanto Dostoiévski e Tchekhov. Por outro, seus textos teatrais estão na origem de algumas das experiências mais criativas do teatro de vanguarda do século XX. Neste sentido, vale observar que a invenção literária genial de O inspetor geral, levada ao palco pela primeira vez em 1836, só iria encontrar o seu perfeito equivalente cênico em 1926, na célebre montagem de V. E. Meyerhold (1874-1940), que trouxe à tona todo o potencial revolucionário da peça. O presente volume reúne a totalidade da obra teatral de Gógol - que inclui também Os jogadores, O casamento, À saída do teatro e Desenlace de O inspetor geral -, com exceção de quadros fragmentários e inacabados, não incluídos em suas obras completas. A tradução de Arlete Cavaliere, professora da Universidade de São Paulo, e autora também das notas e do estudo introdutório, parte de uma compreensão profunda do universo gogoliano, fruto de anos de convívio com sua poética. Em busca do tom e do espírito do original, o texto em português tira partido da oralidade, dos jogos de linguagem e dos lances inesperados, para recriar em nossa língua esse humor insurgente, afiado e atualíssimo, que fascina leitores em todo o mundo.

Sobre o Autor

Nikolai Gógol nasceu em 1809 em Sorotchíntsi, na Ucrânia. Em 1829 muda-se para Petersburgo, onde publica os poemas "Itália" e Hanz Küchelgarten, de caráter romântico. Em 1830 frequenta a Academia de Belas-Artes, dá aulas em um colégio para meninas e considera tornar-se ator. Com a ajuda de amigos consegue um cargo de professor na Universidade de São Petersburgo. Baseado em lembranças da Ucrânia, elabora os dois volumes de Serões numa granja perto de Dikanka, publicados em 1831 e 1832 e recebidos com entusiasmo pela crítica. Deixa a universidade e dedica-se integralmente à carreira de escritor, publicando em 1835 duas coletâneas de contos e novelas: Arabescos, que traz "Avenida Niévski", "Diário de um louco" e "O retrato"; e Mírgorod, que inclui "A briga dos dois Ivans" e o épico Tarás Bulba. Em algumas dessas obras já se dá a passagem dos temas rurais e folclóricos para os urbanos e fantásticos. No ano seguinte publica os contos "A carruagem" e "O nariz", além da comédia O inspetor geral, considerada um marco na história do teatro russo. Ainda em 1836 parte em viagem para o exterior, passando pela Suíça e França, e fixando residência em Roma. Se dedica então ao projeto de um ambicioso romance, Almas mortas, que seria publicado em 1842. No ano seguinte, em uma edição de suas obras completas, aparece pela primeira vez "O capote", um dos contos mais influentes da literatura russa. A última década de sua vida é marcada por crises de depressão e um ascetismo religioso exacerbado. Adoece constantemente, e em 1847 publica Trechos selecionados da correspondência com amigos, textos ensaísticos muito criticados por seu conservadorismo. Retoma então a redação da segunda parte de Almas mortas, iniciada ainda na década de 1840, mais queima todos os manuscritos em 1852, ano em que morre em Moscou.


Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.